quarta-feira, 22 de julho de 2009

é tempo de ipês florirem.

êxtases prá todo lado.
.
.
.
"senhor, ajudai-nos a construir a nossa casa
com janelas de aurora e árvores no quintal -
árvores que na primavera fiquem cobertas de flores
e ao crepúsculo fiquem cinzentas como a roupa dos pescadores.
o que desejo é apenas uma casa.
em verdade, não é necessário que seja azul,
nem que tenha cortinas de rendas.
em verdade, nem é necessário que tenha cortinas.
quero apenas uma casa em uma rua sem nome.
sem nome, porém honrada, senhor.
só não dispenso a árvore,
porque é a mais bela coisa que nos destes e a menos amarga."
manoel de barros.

3 comentários:

Michele Prado disse...

as poesias do manuel de barros são a coisa mais linda desse mundo.

Conrado Falbo disse...

só pra dizer que venho aqui sempre apesar de não comentar... eu que sempre fui tão crédulo, estou aprendendo o duvidar... e gostando!

Baaah disse...

'só não dispenso a árvore,
porque é a mais bela coisa que nos destes e a menos amarga."

Gostei muito mesmo.
Sensação boa que eu encontro por aqui.
Boa sorte com o blog sempre.=)
=*